Centro Oftalmológico Hospital Dia

Transplante de Córnea

A córnea é o tecido transparente que fica na frente do nosso olho, como se fosse o “vidro do relógio” e tem a função de permitir que a luz entre no olho para ser focalizada na retina.

O transplante de córnea é uma cirurgia onde se faz a troca da porção central da córnea doente por uma córnea sadia doadora (Fig. 1). Boa analogia é pensar na troca do vidro de um relógio que está fosco ou perdeu a transparência. A nova córnea é fixada com um fio especial de nylon muito fino (Fig. 2 e Fig. 3), com o auxílio de um microscópio cirúrgico. O paciente recebe anestesia local e não precisa passar a noite no hospital. O procedimento leva cerca de uma hora.

O número de transplantes penetrantes, ou da espessura total da córnea, tem diminuído, pois, com o advento de técnicas cirúrgicas de maior precisão, tornou-se possível transplantar somente as camadas doentes da córnea (Fig. 4). Isto significa que o transplante pode ser parcial, deixando-se intacta a parte boa da córnea e, assim, diminuindo a possibilidade de rejeição pós-cirúrgica.

Fig 3

O número de transplantes penetrantes, ou da espessura total da córnea, tem diminuído, pois, com o advento de técnicas cirúrgicas de maior precisão, tornou-se possível transplantar somente as camadas doentes da córnea (Fig. 4). Isto significa que o transplante pode ser parcial, deixando-se intacta a parte boa da córnea e, assim, diminuindo a possibilidade de rejeição pós-cirúrgica.

O transplante de córnea é atualmente uma cirurgia bastante segura e eficaz, embora seu sucesso dependa, além da técnica cirúrgica, do acompanhamento adequado no pós-operatório. A rejeição do transplante é a mais temida complicação e deve ser manejado com urgência.

Scroll Up