Centro Oftalmológico Hospital Dia

O que é Coronavírus

Os nomes oficiais são:
Doença: doença de coronavírus (COVID-19)
Vírus: síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2) 2

Trata-se de RNA vírus da ordem Nidovirales da família Coronaviridae. Os vírus da SARS-CoV, MERS-CoV e SARS-CoV-2 são da subfamília Betacoronavírus que infectam somente mamíferos; são altamente patogênicos e responsáveis por causar síndrome respiratória e gastrointestinal. Além desses três, há outros quatro tipos de coronavírus que podem induzir doença no trato respiratório superior e, eventualmente inferior, em pacientes imunodeprimidos, bem como afetar especialmente crianças, pacientes com comorbidades, jovens e idosos. Todos os coronavírus que afetam humanos tem origem animal.

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em muitas espécies de animais, incluindo camelos, gado, gatos e morcegos. Raramente, os coronavírus animais podem infectar pessoas e depois se espalhar entre elas, como aconteceu com o MERS-CoV e SARS-CoV. No início, muitos dos pacientes com surtos de doenças respiratórias causados por COVID-19 em Wuhan, na China, tinham alguma ligação com um grande mercado de frutos do mar e animais vivos, sugerindo que a disseminação ocorreu de animais para pessoas. No entanto, um número crescente de pacientes supostamente não teve exposição ao mercado de animais, indicando também a ocorrência de disseminação de pessoa para pessoa. Casos de transmissão pessoa-pessoa já foi relatado em 16 países, até fevereiro de 2020 e este crescente número é acompanhado e relatado diariamente pela Organização Mundial de Saúde. Você pode acompanhar aqui

Na população, a disseminação de MERS-CoV e SARS-CoV entre pessoas geralmente ocorre após contatos próximos, sendo particularmente vulneráveis os profissionais de saúde que prestam assistência a esses pacientes. Nos surtos anteriores de SARS e MERS os profissionais de saúde representaram uma parcela expressiva do número de casos, tendo contribuído para amplificação das epidemias. Por isso, profissionais de saúde, estejam atentos ao cumprimento das normas de segurança e utilize sempre os Equipamentos de Proteção Individual.

É importante esclarecer para melhor entendimento quanto ao risco associado ao COVID-19, que a facilidade com que um vírus se espalha de pessoa para pessoa pode variar. Alguns vírus são altamente transmissíveis (como sarampo), enquanto outros são menos transmissíveis.

Como o coronavírus é transmitido?

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos resistente e com menor poder de contaminação. Até agora os estudos indicam que o COVID -19 apresenta uma transmissão e letalidade menos intensa que o vírus da gripe comum. Porém é sempre importante se precaver.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • gotículas de saliva;
  • espirro;
  • tosse;
  • catarro;
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.
De modo geral, para considerar um caso suspeito do COVID-19 é preciso que o paciente apresente febre, sintomas de gripe comum (coriza, congestão nasal, dor de garganta, dor de cabeça, tosse ou espirro) e que tenha viajado, nos últimos 14 dias, para algum país onde ocorre transmissão direta do COVID-19 (confira a lista de países aqui – link para o MS) OU apresente febre e um dos sintomas de gripe comum (coriza, congestão nasal, dor de garganta, dor de cabeça, tosse ou espirro) e que tenha tido contato direto com caso SUSPEITO ou CONFIRMADO para o CONVID-19 nos últimos 14 dias.

Como prevenir o coronavírus?

Podemos tomar alguns cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:


Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Tratamento

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus, é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo: uso de medicamento para aliviar os sintomas de dor e febre.

Fonte: http://bit.ly/39U0PTP

Scroll Up